quarta-feira, 19 de julho de 2017

Não sou ariano,peço sempre licença e nunca arrombei portas. O resto sim

'Sou ariano. E o ariano não pede licença. Entra, arromba a porta. Nunca tive medo de me mostrar. Você pode ficar escondido em casa, protegido pelas paredes. Mas você está vivo, e essa vida é para se mostrar. Este é o meu espectáculo. Só quem se mostra se encontra. Por mais que se perca no caminho.' Agenor de Miranda Araújo Neto.

terça-feira, 18 de julho de 2017

domingo, 7 de maio de 2017

A solidão infiltra-se dentro de nós e depois é tão difícil extraí-la
Que bom seria se , subitamente , a vida fizesse sentido

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Deixei de pensar obsessivamente no futuro.
Não significa ter deixado de me preocupar com o tempo que virá . Deixei foi de estar subjugado à ideia , ainda por cima vaga , que fazia do futuro e me mantinha refém.

(O futuro faz-se agora, saberão , com certeza.)


domingo, 19 de fevereiro de 2017

Apesar de ter tido uma infância sem falhas materiais de qualquer espécie , fui , tanto quanto hoje me recordo , uma criança melancólica e desajustada da realidade circundante de então. A melancolia foi porventura uma questão congénita , que nasceu comigo mas que se acentuou com o ambiente familiar (influencia que esteve fora de qualquer tipo de controlo da minha parte , pelo menos nos primeiros anos de vida). O desajustamento que me lembro de ter sentido assim que tomei consciência de mim mesmo devia-se , em grande parte , à insatisfação que eu tinha comigo próprio , devido ao enorme sentimento de desamor e solidão sentidos e carregados para todo o lado .Isso me levava a ser bastante egoísta e pouco ou nada empático com os outros. Não era assim por maldade ! Era assim  por não saber ser de outra maneira ; era assim por auto defesa não controlada e , porque nunca ninguém reparou nessa disfunção e  no enorme desconforto que me causava , assim fui seguindo da infância até à vida adulta.

Vendo o festival da canção e a tentativa da rtp de o revitalizar colando , quer na forma quer no discurso , o actual figurino aquele de outro tempo , remetendo a todo o instante , para esse longínquo lugar da memória , não escapo à nostalgia desses outros tempos mas sei que não voltam mais

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Gostaria que as palavras saíssem de mim como a chuva cai do céu
num inverno molhado

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Atiro um bom dia um tanto forçado e com pouca vontade. Do outro lado respondem - me mas confesso que nem reparei no tom. Uma pequena conversa sobre as baixas temperaturas do dia e a seguir peço dois maços de cigarros. Entretanto as outras duas mulheres já conversavam sobre outra coisa qualquer e despedi-me com um vago até logo.
O frio , durante o curto trajecto de ida e vinda , soube - me  bem. Lembrei-me dos tempos em que era preciso despejar água quente sobre o pára brisas para se poder arrancar com o carro. Já há alguns invernos que por aqui não se sentiam temperaturas tão baixas. Não há é chuva , este ano! Seguramente que não chove a sério há mais de dois meses ,o que ė bem estranho.No inverno tem que haver chuva.

domingo, 22 de janeiro de 2017


Corremos o risco de nos enganarmo - nos ou de fazer juízos incompletos sobre o que acontece à nossa volta , quando , sobre os acontecimentos , reagimos precipitadamente.

Isto é válido em muitas circunstâncias da nossa vida mas escrevo - o agora a propósito de um meu anterior postal sobre o discurso da tomada de posse de Trump onde disse o que sentia assim que acabou a emissão televisiva da cerimónia .

Agora , passadas que são mais de 24 horas sobre o evento , acrescento o seguinte:

- O actual presidente dos USA é uma figura estranha . Dono de uma "fácies" crispada e de um cabelo singular. Quando discursa , tem o pouco agradável hábito de levantar o dedo em riste . Não é empático. É  antipático . Estas características pessoais fazem toda a diferença. ( não é o que se diz , é a forma como se diz ) . Cada ser humano tem , no seu corpo , uma escultura por ele não esculpida , é verdade, mas pode-se sempre melhorar o gesto .

- Trump não é eloquente como Obama o foi . É verdade ! Obama , homem de maior cultura , fez discursos elegantes e arrebatadores enquanto os de T. são bastante mais básicos.

- Alegadamente T. teve atitudes pouco abonatórias com algumas mulheres e é conhecido um video onde sobre elas disse coisas bem pouco dignas . Isso não agrada , não me agrada e pairará sobre ele, como nuvem negra , durante todo o tempo.

- Sobre o seu passado como homem de negócios há enormes questões .Quer no que aos impostos diz respeito , quer quanto à forma como , alegadamente , tratava os seus colaboradores. Devem ser poucos os milionários e multi milionários que tenham um passado "limpo".

- Há ainda todas as dúvidas acerca da intervenção dos russos nas eleições e sobre o papel  desempenhado por  T. nessa putativa conspiração. Sobre isso sei o que é publicado .

Ou seja , tenho , portanto , sobre o novo POTUS , muitas das questões e dúvidas que boa parte do "mainstream" opinativo sobre ele tem. No entanto , não me junto é ao coro daqueles que o querem fazer o pior presidente dos Estados Unidos da América ou mesmo o mais horrendo e perigoso homem ao cimo da terra , logo no próprio dia da investidura.

sábado, 21 de janeiro de 2017

São cinco e pouco desta tarde fria de Janeiro e só a música de Stephen Warbeck ("Proof","Shakespeare in love", ... ) me aquece o coração. Os cigarros também , claro ; além do coração aquecem igualmente os pulmões.

Não tenho andado muito feliz nestes últimos tempos e a música é um bom refúgio para os desencontrados do amor e para os desesperançados no futuro , como eu me sinto agora.

Não chega totalmente a preencher o vazio que a não fortuna cava dentro de nós mas é um paliativo tão maravilhoso que quase nos faz esquecer a verdadeira causa de toda a nossa dor e desespero.

Gostaria de não perder nunca o sentido de humor mas o que verifico é que à medida que o tempo passa tenho menos vontade de rir de mim próprio.