segunda-feira, 23 de maio de 2011

domingo, 22 de maio de 2011

Domingo

Não consigo evitar. Só na solidão estou bem , embora pouco me traga.

terça-feira, 17 de maio de 2011

Cinzento

Um dia cinzento e chuvoso interrompe uns dias de calor e de Estio antecipado.

Eu ando uma vez mais desanimado e sem vontade de fazer seja o que fôr. Preguiça, dir - me - ão e certamente com razão

Desconhecida

Venci um receio antigo , apesar de não me ter servido de nada ou de quase nada. Fui ter com ela e meti conversa como antes na vida nunca fizera.

Mulher interessante , jovem mas viajada e já com um trajecto profissional que , embora curto , peculiar. Mas as coisas são como são, o tempo não perdoa e eu estava ali deitado ao pé de uma mulher vinte e tal anos mais nova do que eu sem nada de especial para lhe proporcionar

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Tempo

O tempo é implacável , já o escrevi . Não perdoa aos perdulários . Aqueles que não o aproveitam não têm segunda oportunidade

quinta-feira, 5 de maio de 2011

País de porcaria

Este é um país de gente fraca a achar que merece viver como gente digna.A vontade que dá é deixar de ser português , sair deste lodaçal e esquecer de vez que um dia por aqui andei.

Não há carácter , rectidão , honestidade , rigor , vontade de trabalhar com eficácia.

Troika

Nos meus tempos de estudante universitário , que aliás se prolongaram muito para além da conta , havia em Coimbra uma gelataria/sorveteria que se chamava troika. Penso que o espaço ainda existe e que continua a ter o mesmo nome mas não é mais uma gelataria mas sim um snack de refeições rápidas e a preço acessível.

Nesses meus conturbados dias de estudante eu era um tanto atreito a crises de indole existencial passando longos períodos de profunda melancolia (spleen Baudelairiano ) , que culminavam muitas vezes em depressões , algumas duras e aborrecidas.

Havia então duas coisas que fazia para minimizar os desagradaveis e funestos efeitos desses estados de misantropia : ir ao cinema - chegava a ver dois ou mais filmes por dia e ir à Troika , enfardar longos e grandes gelados , cheios de chantily , com muito chantily mesmo.

Dado que o spleen não escolhia estações do ano para se revelar,deleitava - me com os longos e demorados gelados mesmo naqueles meses do mais rigoroso Inverno , o que fazia de mim um ser relativamente invulgar porque na altura não era muito comum ver - se alguém a saborear um gelado fora da época «oficial» , isto é , no Verão.

Com a presença da Troika por estes dias neste país, se andasse hoje a queimar universitáriamente as pestanas e se , como então , fosse ainda sensível ao pó da melancolia e da tristeza sem razão , pouparia com certeza muito dinheirito em gelados.

terça-feira, 3 de maio de 2011

Sem título

Encostado a um canto por uma solidão não convidada , arrefeço . O coração bate lentamente e no olhar , uma tristeza ; pelo rosto desce uma lágrima , fria.

Lá fora , o vento , varrendo a copa das árvores , leva consigo as memórias do dia.

Nem tu hoje estás comigo. Deixaste-me aqui num desconsolo imenso , preso ao vazio espesso que cai do tecto.

Há momentos de harmonia. Fugazes , como pirilampos.