domingo, 19 de fevereiro de 2017

Apesar de ter tido uma infância sem falhas materiais de qualquer espécie , fui , tanto quanto hoje me recordo , uma criança melancólica e desajustada da realidade circundante de então. A melancolia foi porventura uma questão congénita , que nasceu comigo mas que se acentuou com o ambiente familiar (influencia que esteve fora de qualquer tipo de controlo da minha parte , pelo menos nos primeiros anos de vida). O desajustamento que me lembro de ter sentido assim que tomei consciência de mim mesmo devia-se , em grande parte , à insatisfação que eu tinha comigo próprio , devido ao enorme sentimento de desamor e solidão sentidos e carregados para todo o lado .Isso me levava a ser bastante egoísta e pouco ou nada empático com os outros. Não era assim por maldade ! Era assim  por não saber ser de outra maneira ; era assim por auto defesa não controlada e , porque nunca ninguém reparou nessa disfunção e  no enorme desconforto que me causava , assim fui seguindo da infância até à vida adulta.